A 15ª edição da Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (15ª Expoepi), promovida pela Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (SVS/MS), volta em 2017 para prestigiar mais uma vez os trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS).  A 15ª Expoepi acontecerá entre os dias 27 e 30 de junho, em Brasília, e será a oportunidade para os trabalhadores e gestores do SUS trocarem informações e experiências para o aprimoramento das ações de vigilância em saúde.

A Expoepi é reconhecida como importante evento, que tem como objetivo difundir os serviços de saúde do SUS, que se destacaram pelos resultados alcançados em atividades de vigilância, prevenção e controle de doenças e agravos de importância para a Saúde Pública. Este ano, o evento espera um público de aproximadamente 2.500 participantes.
Criada em 2001, a Mostra promove a atualização técnica e a capacitação dos profissionais que atuam em diversas frentes da vigilância em saúde, como a prevenção e controle das doenças transmissíveis, resposta à emergência de importância para a Saúde Pública, vigilância das doenças crônicas e agravos  não transmissíveis, vigilância em saúde ambiental e saúde do trabalhador. Ao longo de sua história, já foram quase  seis mil trabalhos submetidos, com 182 experiências premiadas e mais de 15 mil participantes nas edições do evento. Tudo isso para prestigiar o trabalho de quem atua nos serviços promovendo a saúde e tornando o SUS cada vez mais forte.
Os prêmios desta edição, regulamentados por edital público, totalizam o montante de R$ 969.000,00, e para todas as categorias previstas serão premiados os três primeiros colocados.  Serão premiadas as experiências bem-sucedidas dos serviços de saúde; os trabalhos técnico-científicos no âmbito de programas de pós-graduação dos profissionais que atuam no SUS; e experiências bem-sucedidas conduzidas pelos movimentos sociais que contribuíram para o aprimoramento das ações da vigilância em saúde.

15ª Expoepi será marcada pela alimentação saudável

jun 21, 2017

A promoção da saúde sempre é um dos principais temas nos debates da Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi). Na edição de 2017, no entanto, o assunto também recebeu destaque na escolha das refeições que serão servidas durante o evento. A 15ª Expoepi será marcada pela alimentação saudável, que privilegia comidas in natura ou minimamente processadas e preparações culinárias que contenham os diversos grupos alimentares, acompanhadas de sucos naturais. O objetivo da iniciativa é proporcionar bem-estar e qualidade de vida para os participantes.

Fortalecer as ações de promoção à saúde e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão, diabetes e obesidade, é uma das prioridades do Ministério da Saúde. A seleção do cardápio está de acordo com a Portaria nº 1.274, de 7 de julho de 2016, que apresenta diretrizes sobre alimentação adequada e saudável nos ambientes de trabalho. Também está em sintonia com “Guia para a elaboração de refeições saudáveis em eventos”, publicação lançada no ano passado pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Debate destaca importância de integrar ações de vigilância em saúde

jun 29, 2017

A construção de uma política nacional de vigilância em saúde foi o ponto alto do debate do Painel 9 da 15° Expoepi, com moderação feita pelo secretário de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde, Adeilson Cavalcante.

Participaram da discussão realizada no auditório Oswaldo Cruz o professor da Universidade de São Paulo (USP) Eliseu Alves Waldman; o assessor Marcos Franco, representando a Secretaria Executiva do Ministério da Saúde; Michele Caputo Neto, presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass); Andreia Passamani Corteletti, representando o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems); e Ronald Santos, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

O professor da USP destacou o papel da vigilância em saúde em diferentes períodos da História, iniciando em 1890, na Inglaterra, com a construção de um sistema de notificação do óbito, até chegar no Brasil, em 1970, com as ações de vigilância sendo incorporadas à rotina das estratégias de saúde pública.

Os representantes do Conass e do Conasems salientaram a necessidade de integrar as diversas vigilâncias em saúde existentes: sanitária, do trabalhador, ambiental e epidemiológica, além da urgência em capacitar novos profissionais para o setor e de garantir o financiamento público das ações. Marcos Franco, por sua vez, destacou a importância da construção de uma Política Nacional de Vigilância em Saúde que possa contemplar a universalidade das ações do Sistema Único de Saúde (SUS).

Falando em nome do CNS, Ronald Santos, buscou suporte no Artigo 200 da Constituição Federal para pedir o cumprimento da Carta Magna. “O Artigo 200 garante a sustentabilidade do SUS, protege os direitos dos trabalhadores e assegura equidade”. Segundo ele, no entanto, a recente medida do governo federal que congela os recursos do SUS por 20 anos e impede a realização de concursos públicos para a renovação de pessoal são um “flagrante desrespeito à Constituição”.

Violência contra a menina e a mulher: não passarão

jun 28, 2017

Com o tema “Violência contra mulheres, crianças e adolescentes no Brasil” o painel da manhã do segundo dia da 15a Expoepi trouxe detalhes do trabalho de vigilância de violência contra mulheres e colocou luz sobre os desafios ainda grandes sobre o problema.