Publicações da SVS são lançadas na Expoepi

jun 30, 2017 by bruno in  Sem categoria

Vinte e quatro publicações da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) foram lançadas na quinta-feira (29), durante a 15ª Expoepi, em Brasília. Dentre os lançamentos, estão os seguintes títulos: “Cartilha para o Agente Comunitário de Saúde”; “Vírus Zika no Brasil: a resposta do SUS”; “Saúde Brasil 2015-2016”; “Chikungunya: manejo clínico”; “Epidemiologia e Serviços de Saúde – revista do Sistema Único de Saúde do Brasil”.

Também foram lançados os boletins epidemiológicos: “Indicadores prioritários para o monitoramento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil” e “Coinfecção TB-HIV no Brasil: panorama epidemiológico e atividades colaborativas” (acesse aqui).

Segundo a Coordenadora da Comissão Científica da 15ª Expoepi, Elisete Duarte, “as publicações representam o esforço coletivo das diversas áreas da Secretaria de Vigilância em Saúde”. Para a diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais, Adele Benzaken, o “Boletim Epidemiológico Coinfecção TB-HIV no Brasil: panorama epidemiológico e atividades colaborativas” representa um marco na busca por informações sobre as infecções pelas duas doenças. “É a primeira vez que conseguimos elaborar um banco de dados dos programas desses dois agravos. A tuberculose é a maior responsável pela mortalidade por aids no Brasil”, afirmou.

Para o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis (Devit), João Paulo Toledo, “as publicações contribuem para o trabalho dos profissionais de saúde e nos ajudam a verificar onde podemos atuar com mais profundidade. Temos nesses materiais um guia de como enfrentar os desafios dessas doenças”.

Veja a relação das 24 publicações lançadas pela Secretaria de Vigilância em Saúde:

  • Cartilha para o Agente Comunitário de Saúde – Tuberculose (1ª edição, 2017)
  • Protocolo para vigilância do óbito com menção de tuberculose nas causas de morte (1ª edição, 2017)
  • Vírus Zika no Brasil: a resposta do SUS (1ª edição, 2017)
  • Orientações integradas de vigilância e atenção à saúde no âmbito da Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional (2017)
  • Chikungunya: manejo clínico (2ª edição, 2017)
  • Vigitel Brasil 2016: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico (1ª edição, 2017)
  • Saúde Brasil 2015-2016: resumo executivo (folder)
  • Panorama Nacional de Implementação do Programa Academia da Saúde: Monitoramento Nacional da Gestão do Programa Academia da Saúde – Ciclo 2016 (2017)
  • Guia de vigilância de epizootias em primatas não humanos e entomologia aplicada à vigilância da febre amarela (2ª edição atualizada)
  • Manual de vigilância da leishmaniose tegumentar (1ª edição, 2017)
  • Cartilha de orientação à população no período de alerta de chuvas intensas (1ª edição, 2017)
  • Orientações para prevenção de acidentes por animais peçonhentos durante e após períodos de enchentes (folder)
  • Prevenção de doenças infecciosas respiratórias (folder)
  • Tétano acidental: ferimentos com destroços podem levar à infecção (folder)
  • Orientações para o tratamento intradomiciliar da água de consumo humano em situações de desastres (folder)
  • Epidemiologia e Serviços de Saúde – revista do Sistema Único de Saúde do Brasil (vol. 26, n. 1 e 2, 2017)
  • 5 passos da Prevenção Combinada na Atenção Básica (acesse aqui)
  • Boletins Epidemiológicos (2017):

§ Indicadores prioritários para o monitoramento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil

§ Coinfecção TB-HIV no Brasil: panorama epidemiológico e atividades colaborativas

§ Monitoramento integrado de alterações no crescimento e desenvolvimento relacionadas à infecção pelo vírus Zika e outras etiologias infecciosas, até a Semana Epidemiológica 18, 2017

§ Monitoramento dos casos de dengue, febre de Chikungunya e febre pelo vírus Zika até a Semana Epidemiológica 19, 2017

§ Indicadores de Vigilância em Saúde descritos segundo a variável raça/cor, Brasil

§ Vigilância em Saúde do Trabalhador: um breve panorama

Personalidades na Expoepi

jun 27, 2017

Adeilson Cavalcante – Secretário da SVS – Estou muito feliz em participar da organização de mais uma edição da Expoepi, um evento consagrado na comunidade científica. É uma honra receber colegas do setor saúde de todo o Brasil. Desejo que todos aproveitem ao máximo o evento, adquiram novos conhecimentos e levem para suas cidades uma boa recordação da acolhida que tiveram em Brasília.

 


Otaliba Libânio/UFGO: Estava sentindo falta, após dois anos sem o evento. Acredito que em termos de vigilância no Brasil é o principal evento que existe. E a possibilidade de troca de novos conhecimentos que estão sendo produzidos.

 

 


Deborah Malta/UFMG:
 A Expoepi é a possibilidade do encontro com estados, municípios e academia para a gente aprender coisas novas, saber o que está ocorrendo na epidemiologia dos serviços. Para mim é sempre um grande prazer participar da Expoepi, o evento se renova a cada edição.

 

 


João Paulo Toledo/ Devit/SVS
 – Essa é a 15ª Expoepi, a última foi em 2015, e a expectativa é uma boa troca de experiências entre os gestores, profissionais de saúde e as comunidades de práticas, especialmente nos temas de relevância de vigilância em saúde pública, como: vacinação, arboviroses, zoonoses, febre amarela e vigilâncias ambiental e de saúde do trabalhador.

 


Carla Domingues –  Coordenadora do PNI/SVS/MS
 – Na 15ª Expoepi o Programa Nacional de Imunizações está com uma oficina para discutir os avanços do PNI e as estratégias de vacinação da população vulnerável. A importância dessa oficina é darmos a oportunidade para gestores, municipais e estaduais, identificarem os grupos que estão tendo maior ou menor cobertura vacinal e principalmente pensar em estratégias para se buscar essa população. Então com este um espaço dentro da Expoepi, podemos avaliar todas as ações de imunização do nosso país.


Marcos Boulos/USP
 – A Expoepi é de fato uma das reuniões de maior importância para discutir epidemiologia e para todos os estados e municípios tomarem conhecimento de como está a situação em relação ao controle. O encontro ajuda a direcionar as políticas que nós temos que fazer e corrigir rumos para que a gente possa ter uma política mais responsável

 


Rodrigo Said – SES/MG
 – A Expoepi é um excelente espaço de encontro e compartilhamento de experiencias exitosas no campo da vigilância. É um espaço para debater diretrizes nacionais e atividades que possam ser incorporadas pelos estados e municípios. Na minha opinião, a principal contribuição é revigorar as nossas energias para que a gente possa voltar com as questões que foram discutidas aqui, especialmente as experiencias exitosas, e pensar na aplicabilidade dessas ações em nossos municípios e estados.


Dr. Jarbas Barbosa, presidente da Anvisa, e ex-Secretário da SVS – 
“É um prazer muito grande participar da 15ª edição da Expoepi. Quando fui titular da SVS organizei as primeiras edições da Mostra e participei de todas as edições. A Expoepi cresceu muito e atrai a atenção de especialistas de todo o Brasil e também do exterior por ser um espaço de troca de experiências bem sucedidas em epidemiologia”.

 

 

 

 

Giro na Expoepi

jun 29, 2017


Aline Vimieiro – Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais
É a primeira vez que venho à Expoepi e estou gostando bastante, pois a Mostra traz conhecimento aprofundado na área que eu atuo e está bem interessante.

 

 

 


Fabio Satake – Convidado pela UFMG
Tinha uma expectativa positiva, esperava buscar algum conhecimento de forma diferente da que a gente tem geralmente. Me surpeendi bastante com a qualidade dos programas apresentados em todas as palestras e fiquei bastante satisfeito com o congresso e o pessoal da organização está de parabéns.

 

 


Cleonice Holanda – Estudante recém-formada em Medicina Veterinária
A Expoepi está bem interessante. As palestras estão certas, tem como acompanhar seguindo a programação. Elas estão ótimas, completas e interessantes. Achei tudo ótimo em todos os aspectos, como o local, alimentação, a recepção etc.

 

 

 


Ludmilla de Souza – Secretaria Estadual de Saúde do Mato Grosso
O evento para mim é extremamente importante, onde a gente consegue visualizar o que os estados e os municípios estão realizando. A relevância disso tudo é buscar agregar todo esse conhecimento e colocá-lo em prática.

 

 

 


Adriana Martins – Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais
É a minha primeira Expoepi e estou muito feliz com o evento, parabenizo o Ministério, as pessoas que trabalham na SVS, pela organização do evento que está muito boa mesmo. É uma oportunidade ímpar de troca de experiências com os colegas de todo o Brasil e é um momento muito importante para nós, pois a Expoepi traduz toda a produção do pais na área da vigilância.

 

 


Camila Lopes – Secretaria de Saúde do Distrito Federal
Já venho ao evento desde quando ainda era estudante. Acho a mostra bem organizada, mantendo o nível das edições anteriores. Achei a sessão de pôsteres bem interessante.

 

 

 


Francilena Silva – Secretaria Municipal de Saúde do Município de São Luís
É sempre muito gratificante você ver o resultado positivo dos nossos colegas de profissão, porque aqui nesse espaço, você vê sobre as questões relacionadas a ponta dos serviços. Então me sinto muito contemplada com tudo que é trabalhado aqui e da forma que é feita. Na Expoepi vemos experiências concretas e isso nos estimula muito a entender e compreender que o SUS dá certo.

 

 

 

Faça logo sua inscrição para a Expoepi, pois as vagas estão acabando

jun 14, 2017

A 15ª edição da Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (Expoepi) está se aproximando e os interessados devem fazer a sua inscrição o quanto antes, pois as vagas estão acabando. As inscrições podem ser feitas pelo site do evento, www.15expoepi.com.br.
Devido a grande procura as vagas para as oficinas que acontecem no dia 27, pré-congresso, já estão encerradas.  Este ano a Expoepi tem início no dia 28 de junho e vai até o dia 30, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.